quarta-feira, 2 de novembro de 2011

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

sábado, 27 de agosto de 2011

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

segunda-feira, 25 de julho de 2011

"Não te digas decepcionado com o teu próximo. Não lhe apontes os erros.


Faze tu, de forma que não decepciones; nem te permitas erros.

Não afirmes: - Agora é tarde!

Não imponhas: - "Ficarei no meu posto, porquanto fui o ofendido!"

Vai ao irmão que delinqüiu contra ti e pede-lhe desculpas.

Quem dá o primeiro passo, chega antes ao termo do bem.

Sob disfarce algum, não agasalhes o orgulho, nunca, pois que ele é o inimigo mais hábil prevenido contra o teu progresso espiritual."



Joanna de ângelis

O poder do amor.

Acredita no amor e vive-o plenamente.
Qualquer expressão de afetividade propicia renovação de entusiasmo, de qualidade de vida, de metas felizes em relação ao futuro.
O amor não é somente um meio, porém o fim essencial da vida.
Emanado pelo sentimento que se aprimora, o amor expressa-se, a principio, asselvajado, instintivo, na área da sensação, e depura-se lentamente, agigantando-se no campo da emoção.
Quando fruido, estimula o organismo e oferece-lhe reações imunológicas, que proporcionam resistências as células para enfrentar os invasores perniciosos, que são combatidos pelos glóbulos brancos vigilantes.
A força do amor levanta as energias alquebradas e torna-se essencial para a preservação da vida.
Quando diminui, cedendo lugar aos mecanismos de reação pelo ciúme, pelo ressentimento, pelo ódio, favorece a degeneração da energia vital, preservadora do equilibrio fisiopsíquico, ensejando a instalação de enfermidades variadas, que trabalham pela consumação dos equipamentos orgânicos.
Situação alguma, por mais constrangedora, ou desafio, por maior que se apresente, nas suas expressões agressivas, merecem que te niveles a violência, abandonando o recurso valioso do amor.
Competir com os não-amáveis é tornar-se piór do que eles, que lamentavelmente ainda não despertaram para a realidade superior da vida.
Ama-los é a alternativa única a sua disposição, que deves utilizar, de forma a não te impregnares das energias deletérias que eles exalam.
Envolvê-los em ondas de afetividade é ato de sabedoria e recurso terapêutico valioso, que lhes modificará a conduta, senão de imediato, com certeza opurtunamente.
O amor solucionará todos os seus problemas.
Não impedirá, porém, que os tenhas, que sejas agredido, que experimentes incompreensão, mas te facultará permanecer em paz contigo mesmo.
É possivel que não vejas a florescência, naquele a quem o ofertas, no entanto, a sociedade do amanhã vê-lo-á enfrutecer e beneficiar as criaturas que virão depois de ti.
E isto,sim,é o que importa.
Quando tudo pareça conspirar contra os teus sentimentos de amor, e a desordem aumentar, o crime triunfar, a loucura aturdir as pessoas em volta, ainda ai não duvides do seu poder.
Ama com mais vigor e tranqüilidade, porque esta é a nossa missão na terra-AMAR SEMPRE.
Crucificado, sob superlativa humilhação, Jesus prosseguiu amando e em paz, iniciando uma Era Nova para a humanidade, que agora lhe tributa razão e amor.

Joanna de Ângelis/Divaldo Pereira Franco.
Do livro "Momentos Enriquecedores".

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Plurais.

Eu era plural,
ainda escuto os risos...
a vida era uma infinita brincadeira.

Tudo era fantasia
criança magia.

Para ter uma floresta,
bastava ir ao jardim
brincar de monstros e fadas
e tupiniquim.

Quase tudo era alegria
olhos eram janelinhas
bocas eram portinhas
nariz campainha.

Só que agora
tudo é passado.

Mundo movimento
todos cresceram...
menos eu.

Mara Soares.

terça-feira, 17 de maio de 2011

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Afinal, O que é ser artista?

Não agüento mais os malditos discursos sobre arte e as rotulações que vem incutidos sutilmente neles. Quanto mais olho os meus trabalhos, mais me frusto, e por uma certa imposição social precisei categoriza-los em um estilo, por exemplo me coloco como uma artista surrealista, estou falando de trabalhos que não foram para as exposições, que pseudocuradores repélem por serem "agressivos" demais, será que eles consideram apenas o belo? afinal eles querem enfeites para as paredes ou algo que faça as pessoas sairem de suas inércias mentais?... Recebo algumas visitas em meu atelier e as observações são muito interessantes, hoje por exemplo, um antiqüario com seus possiveis sessenta anos olhou detalhadamente para cada trabalho e disse: sua arte é estranha, parece macabra, depois olhou para um clássico e disse: lindo, esse é um trabalho respeitável. Confesso que fiquei questionando todo o meu processo artistico, afinal aquela observação vinha de um senhor com uma bagagem cultural respeitável...e eu pergunto: Afinal qual é a real proposta de arte para com o mundo? ou do mundo para com a arte?...

quarta-feira, 13 de abril de 2011

A todos os meus amigos blogueiros

Escrevo para os que me mandam e-mails comentando as postagens e para os que participam, escrevendo comentários, pois estes me deixam menos só nesses "apelos" de fazer pensar... Quero compartilhar um convite para exposição permanente que recebi, onde não afugentei as pessoas...rsrsr e foi atraves desse blog que me acharam. legal né? Viu como as pessoas nos lêem? isso significa que não estamos tão sós ou isolados do mundo. bjão para todos.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Óleo sobre tela. Um dia me disseram que o mundo era preto e branco... não acreditei.
Nanquim sobre cartão. Sobrevivo grávida de idéias, sonhos, labutas...
Óleo sobre tela, Foi pedido para que eu fizesse meu auto retrato para expôr junto com outros artistas, no caso a temática da exposição era "auto retratos", sem pensar duas vezes me atirei na tela, é claro que ele foi rejeitado, rsrsr...e eu me senti uma estranha sem ninho, ali não era meu lugar, não pela rejeição mas sim pela "porta apertada" onde o diferente, o feio não é aceito...Piór que me senti honrada...vcs que interpretem essa questão se quiserem...rsrsr
Pintura a óleo sobre tela de minha autoria. A arte pode ser "lida" livremente, independente dos devaneios do artista, aqui como em todos os meus trabalhos me dilacero em cores, inclusive em algumas exposições recebi criticas pejorativas pela audácia das cores vivas e múltiplas, mas como não estou presa em necessidades de aprovação...apenas vomito a minha arte.

sábado, 19 de março de 2011